Professora Maria, exemplo de coragem e determinação para Canoas

A professora Maria Oliveira de Araujo chegou em Canoas aos 36 anos e foi morar no bairro Niterói, sem sequer imaginar a contribuição que faria para a sua nova comunidade.

Maria estava acompanhada dos pais Tertuliano e Edelmira, já idosos, ao se mudar para a mesma vizinhança de Ivo, seu irmão mais velho. Tertuliano morreu meses após a chegada em Canoas, e Maria precisou trabalhar e cuidar da mãe de 70 anos, apesar de não ter nenhuma experiência profissional. Como tinha completado o curso normal em Dom Pedrito, começou a dar aulas particulares para crianças da vizinhança. Logo o bairro a conheceria como “Professora Maria”, e já em 1960 ela criou com o apoio da família “a escola da professora Maria”, como seria carinhosamente chamada ao longo dos anos a Escola de Ensino Fundamental São José.
As décadas seguintes foram divididas entre o espírito empreendedor e o amor pela mãe. De um lado, Maria era uma mulher solteira e independente, que administrava o próprio negócio e descobria sua vocação e seu propósito de vida: a Educação. Por outro, estava incansavelmente ao lado da mãe, que toda a família chamava de “Mosinha” e que Maria chamou a vida toda de “Mamãe”, até o seu falecimento na invejável idade de 100 anos, em 1983.

No ano de 1979, fundou a Associação Educacional Prof. Maria Oliveira de Araujo, entidade mantenedora da Escola São José, criada com o objetivo de orientar e dar sequência aos projetos da instituição. Na década de 1980, com recursos próprios, adquiriu um terreno na Rua Iraí e, após mais alguns anos, finalmente iniciou a construção da sede atual da escola. É difícil contabilizar quantos canoenses aprenderam a ler com a professora Maria e sua equipe, quantos se divertiram nas suas festas juninas, quantos conheceram seus melhores amigos e futuros maridos e mulheres nas suas salas de aula, quantos descobriram seu potencial sentados às suas mesas.

A professora Maria era uma mulher alta e forte, tanto de corpo quanto de personalidade. Aos 60 anos, com um toque de vanguarda e rebeldia juvenil, tirou licença para dirigir uma moto, que durante mais de uma década usou para, entre outras coisas, buscar os alunos “fujões” em casa. Na virada do milênio, se aproximando dos 80, a agora “dona Maria” entrou para a primeira turma do projeto Ulbra para Terceira Idade (Ulbrati), onde construiu novos laços de amizade. Muito ativa no projeto, conquistava novos integrantes para o grupo. Maria adorava dançar tango, jogar vôlei e viajar com os colegas da Ulbrati, entre as muitas atividades das quais participava.
A professora Maria dedicou a maior parte da sua vida a Canoas e à Educação, mas nunca esqueceu suas raízes na fronteira oeste do estado. Ela visitava regularmente Dom Pedrito, sua cidade natal, e se correspondia com as amigas pedritenses da juventude. Em 1992, foi homenageada pela Câmara de Vereadores de Dom Pedrito, no Encontro de Pedritenses Ausentes, por “sua importante ação educativa fora do munícipio”.
Com o tempo, a professora Maria passou a atuar apenas como diretora, cargo em que permaneceu até 2003, quando entregou o comando da escola para Maria Cristina Araujo, a sobrinha que amava como uma filha. Em uma última lição de educadora e empresária, soube afastar-se do trabalho de mais de quatro décadas e deixar a escola crescer e evoluir nas mãos da próxima geração.

A professora Maria Oliveira de Araujo faleceu em 2014, poucos meses antes de completar 90 anos, mas seu legado permanece vivo. Em 2020, a escola que fundou sozinha comemora 60 anos de existência, e seus alunos incluem muitos filhos, netos e até bisnetos de seus ex-alunos. Maria nunca casou, mas conquistou uma infinidade de amigos; nunca teve filhos, mas amou e foi amada pelos sobrinhos e sobrinhos-netos como mãe e avó. Seu jeito simples e corajoso de ser, seus princípios ganham vida com o trabalho da Escola São José, hoje administrada pela sua família sob o lema “Educando Gerações”.

Memorial Professora Maria Oliveira de Araujo, na secretaria da escola.
Ao receber a placa de comemorativa dos 50 anos da Escola São José (2010).

5 comentários em “Professora Maria, exemplo de coragem e determinação para Canoas

  1. Um exemplo de vida graças à ela que temos o orgulho de ter nosso filho estudando na melhor escola de Canoas o que diferencia das outras é a dedicação de todos os profissionais e o amor familiar pois a Maria Cristina Araújo deu continuidade a esse lindo trabalho educacional junto à nossa diretora Maria Karina parabéns💙💜😍

  2. Bela homenagem para a professora Maria Araújo,ela está muito viva em nossas mentes.As pessoas boas partem para a casa de Deus e aqui ficam suas boas obras.Muita luz prof Maria.

  3. Minhas filhas gemeas ritace regina estudaram na década dos anos 80 hoje sao avós gostava muito dela foi uma mulher e professora incrivel meu falecido marido valdir piedade muito trabalhou para ela nas arrumaçoes da escola como pedreiro.sou muito grata a ela.ela esta nos braços de Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: